A cidade sagrada de Caral

Caral é a civilização mais antiga da América desde que tem aproximadamente 5.000 anos. Sua descoberta no final do século 20 foi um dos eventos arqueológicos mais importantes da história do Peru. O sítio arqueológico fica a 174 quilômetros da cidade de Lima. A maioria dos turistas faz sua visita em um passeio de 1 dia. Saiba mais sobre preços, história e todas as informações sobre Caral, a cidade sagrada.



A civilização mais antiga das Américas

Caral é a cidade e civilização mais antiga da América. Existiu no período denominado 'Formativa Inicial' do antigo Peru, entre 3.000 aC e 1.900 aC Ou seja, coexistiu com outras das culturas mais antigas do mundo, como Egito, Suméria, China e Índia.

No entanto, é interessante que, ao contrário de outras civilizações do mundo, parece que Caral existiu de forma isolada, sem comércio ou trocas culturais com grandes culturas. E apesar disso eles alcançaram um importante desenvolvimento na pesca, agricultura, arquitetura, astronomia e até música. Esta civilização influenciou o desenvolvimento cultural das civilizações posteriores do antigo Peru.

Caral se desenvolveu na costa central do país. Seu centro urbano cobria cerca de 50 quilômetros quadrados no vale Supe. Lá, até 23 assentamentos urbanos foram registrados com prédios, quadrados circulares, recintos menores, escadas, passagens e muito mais.

O núcleo urbano mais importante era constituído pela chamada 'Cidade Sagrada de Caral', situada numa área de 66 hectares. Esta imensa cidade foi dividida em um setor alto e um setor baixo. Na primeira, encontram-se os espaços públicos, praças, grandes pirâmides e conjunto residencial da classe dominante. No segundo, estão as construções menores e maiores, onde se destacam a 'Pirâmide do anfiteatro' e o 'Templo do altar circular'.

Na periferia da 'Cidade Sagrada de Caral' existem recintos menores e de menos qualidade, distribuídos de forma isolada, que atendem à população comum.

Caral é atualmente um símbolo do Peru. Sua influência alcançou culturas posteriores, incluindo os próprios Incas. O trabalho de pesquisa continua revelando novas descobertas como peças de cerâmica, peças têxteis e até o quipu mais antigo do país.

Caral tem um museu no local que também pode ser visitado por qualquer pessoa virtualmente. Também com loja de artesanato e souvenirs. É uma das atrações turísticas mais importantes do Peru. Em 2009 foi declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO.

Junto com Pachacamac e o santuário histórico de Machu Picchu são os sítios arqueológicos mais importantes do Peru.

Localização

O sítio arqueológico de Caral está localizado no vale do rio Supe, a cerca de 174 quilômetros por estrada da cidade de Lima (viagem de aproximadamente 4 horas).

Pertence à província de Barranca, departamento de Lima, na costa central do Peru.

Como chegar lá desde Lima

A maioria dos turistas decide chegar a Caral por meio de um passeio que já inclui o serviço de transporte de ida e volta.

Para ir por conta própria, você deve seguir as seguintes etapas:

  • Na cidade de Lima você deve pegar um transporte público para a cidade de Supe (no quilômetro 184 do Norte Pan-americano). A parada de ônibus fica no terminal 'Plaza Norte' ou na avenida 'Abancay'.
  • Uma vez em Supe, eles devem ir ao mercado da cidade. É o paradeiro dos 'táxis coletivos' que vão para a cidade de Supe. A viagem dura 30 minutos e custa aproximadamente 4 soles peruanos.
  • O 'táxi coletivo' vai deixá-lo na porta da entrada de pedestres do sítio arqueológico de Caral. De lá, você deve caminhar por aproximadamente 20 minutos até chegar à 'Cidade Sagrada'.

Mapa do Caral

História

Para falar sobre a história de Caral, temos que voltar a 5.000 anos antes da era cristã. Naqueles anos, os habitantes do vale Supe foram agrupados em ayllus que se dedicavam principalmente à pesca e à agricultura. Unida sob a mesma língua, a mesma religião e, posteriormente, estrutura política e social, a civilização Caral formou-se em torno de uma imensa cidade.

Para melhor se adaptar ao ambiente geográfico, eles construíram canais de água. Sua principal atividade era a pesca e a agricultura. Eles também negociaram com vários ayllus da costa e das montanhas do atual Peru.

Dos 3 mil anos anteriores à nossa era, constroem-se imensos edifícios, dos quais se destaca a 'Cidade Sagrada' de Caral. De acordo com vários estudos, a língua desta civilização era um 'quíchua primitivo', que foi herdado pelos Incas e continua a ser falado por milhões de pessoas principalmente nas cidades da Cordilheira dos Andes na América do Sul.

É difícil posicionar os Caral em ordem cronológica uma vez que não utilizaram cerâmicas, o que impede desvendar a sua evolução ao longo do tempo. Mesmo assim, outras descobertas, como instrumentos musicais, são responsáveis ​​por seu desenvolvimento bem-sucedido.

A partir de 2 mil anos antes de nossa era, outras civilizações nasceram, principalmente na costa norte do atual Peru. É nessa época que a cidade de Caral foi gradualmente abandonada e seus prédios foram enterrados na areia.

No início do século XX, já se conhecia a existência de um sítio arqueológico muito antigo no vale do Supe. No entanto, foi somente em 1994 que a professora Ruth Shady, junto com um grupo de alunos da Universidade San Marcos de Lima, estudou o local descobrindo as pistas de uma civilização muito antiga ainda não descoberta.

Finalmente, em 1997, após muito trabalho, o arqueólogo anunciou a descoberta de Caral, a civilização mais antiga da América. A notícia abalou os fundamentos da arqueologia peruana.

Em 28 de junho de 2009, Caral foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Até hoje, as pesquisas continuam revelando achados de grande importância. Caral é atualmente um dos sítios arqueológicos mais visitados do Peru.

A cidade sagrada de Caral

A 'Cidade Sagrada' de Caral é o edifício mais importante do grupo de 23 complexos urbanos identificados no vale do Supe. Estes foram construídos no chamado período 'Formativo inicial' (de 3.000 aC a 1.900 aC). A característica comum desses edifícios são seus quadrados circulares afundados, bem como suas pirâmides de vários níveis feitas de argila.

A 'Cidade Santa' cobre uma área de até 66 hectares. Está dividida em um setor nuclear (destinado à classe dominante) e uma zona periférica (destinada à classe comum).

O primeiro setor, por sua vez, subdivide-se em 'Setor Alto' e 'Setor Baixo'. O topo é constituído por edifícios de melhor qualidade para alojamento dos governantes e também ponto para reuniões públicas. Destacam-se construções como: a pirâmide maior, a pirâmide menor, a pirâmide pedreira, o conjunto residencial, a pirâmide de Huanca, a pirâmide da galeria e outras. O setor inferior possui prédios menores que provavelmente foram destinados a pequenos eventos públicos. Destaques lá: a pirâmide do anfiteatro, o templo do altar circular e muito mais.

O Museu do Caral

Caral tem um museu local muito bem implementado com dez salas que explicam a importância desta civilização na história do Peru.

  • Sala 1. Apresentação.
  • Sala 2. Caral, uma das civilizações mais antigas do mundo.
  • Sala 3. Vida em harmonia entre o ser humano e a natureza.
  • Sala 4. Gestão do território andino com uma visão de bacia e a importância da interação e intercâmbio.
  • Sala 5. Organização do coletivo social para a execução de obras de benefício compartilhado, conduzidas por autoridades sociais e políticas.
  • Sala 6. Complementaridade de gênero e o papel da mulher.
  • Sala 7. Identificação de problemas e busca de soluções por meio da produção de conhecimento (ciência e tecnologia).
  • Sala 8. Desenvolvimento integral do ser humano: conhecimento em harmonia com a arte e a música na vida social.
  • Sala 9. Registro da memória social das causas das crises coletivas para gerar reflexões e enfrentar as dificuldades.
  • Sala 10. Interação social com respeito à diversidade cultural e ideológica.
  • Sala 11. Espaço lúdico para crianças.

Vale a pena mencionar que as autoridades de Caral implementaram um tour virtual do museu totalmente gratuito. Você pode visitá-lo em www.zonacaral.gob.pe/museo/1/.

Quanto custa visitar a Caral?

Os passeios de 1 dia para Caral que começam na cidade de Lima têm um custo aproximado de aproximadamente 50 dólares.

Se você visitar Caral por conta própria, estes são os preços do ingresso de entrada:

  • Adultos em geral: 11 soles peruanos.
  • Estudantes universitários e do ensino médio: 4 soles peruanos.
  • Crianças e alunos: 1 sol peruano.
  • Adultos com mais de 60 anos: 5 soles 50 centavos.
  • Pessoas com deficiência: 5 soles 50 centavos.

Horário de visita

O sítio arqueológico de Caral está aberto de segunda a domingo, das 10 da manhã às 5 da tarde.

O que levar?

Durante a sua visita a Caral, não se esqueça de levar com você:

  • Roupas confortáveis ​​para o passeio.
  • Um chapéu.
  • Protetor solar.
  • Lanches, bebidas ou frutas.
  • Dinheiro.
  • Documentos de identidade.

Galeria de fotos da Caral

La ciudad sagrada de Caral
La ciudad sagrada de Caral
La ciudad sagrada de Caral
Veja mais fotos de viajantes

Mais informação

Na porta de entrada encontram-se guias turísticos que se oferecem para acompanhar os visitantes num passeio educativo por Caral. O grupo é composto por um máximo de 9 visitantes. O custo do serviço é de 20 soles peruanos por pessoa.

Além da 'Cidade Sagrada' de Caral, existem outros setores urbanos próximos que pertenceram a esta civilização. Vichama e el Áspero se destacam. Muitos circuitos turísticos ao redor da cidade incluem esses três lugares.

O Caral inclui uma sala de jantar com disponibilidade para até 120 pessoas sentadas. A entrada com refeições é permitida, portanto é uma excelente opção para levar comida, principalmente para as famílias peruanas. Aos sábados e domingos há comida à venda no mesmo local.

Se você gosta de história, não perca a oportunidade de visitar o Santuário histórico de Pachacamac, também localizado na periferia da cidade de Lima.

Claro que não é permitido tocar nas construções arqueológicas de Caral. Também não é permitido fazer gravações profissionais sem autorização. Fotos são permitidas. Proteja o local, pois é um monumento histórico da humanidade!