Os 10 pratos mais deliciosos de Arequipa

Arequipa oferece uma das melhores cozinhas do Peru. Destaca-se pelos seus variados sabores a partir de ingredientes típicos do litoral e da serra do país. Destacam-se pratos como rocoto relleno, adobo, chupe de camarones, pastel de papa, o cuy chactado e mais. Muitos destes pratos podem ser degustados nas famosas chicherías de Arequipa. Abaixo você encontra os 10 melhores pratos de Arequipa, seus preços e onde experimentá-los.

Chupe de camarones – Arequipa
Chupe de camarones – Arequipa


Rocoto relleno

Rocoto relleno arequipeño
Rocoto relleno arequipeño

O rocoto relleno é o prato principal de Arequipa. É servido como entrada e também como prato principal. Como o próprio nome sugere, é feito de rocoto, uma fruta picante em forma de maçã. O rocoto é recheado com carne moída, queijo, azeitonas, ensopados e tudo feito no forno. Em Arequipa, este prato costuma ser acompanhado com bolo de batata. Há uma história que atribui a criação deste prato ao padre Manuel Mesías que cria este prato picante para satisfazer o paladar do diabo e assim recuperar a sua filha.

  • Onde comer? Restaurante La Lucila, restaurante Laurita Cau Cau ou mercado San Camilo.
  • Quanto custa? (aproximadamente): De 10 a 50 soles dependendo do restaurante que você escolher.

Adobo arequipeño

Adobo arequipeno
Adobo arequipeño

Este prato também é conhecido como marinada de porco ou simplesmente marinada de Arequipeño. Como o próprio nome indica, é feito de carne de porco temperada com pimenta, alho, manteiga, chicha e pimenta rocoto. Todos esses ingredientes são fritos e cozidos com o mesmo suco. Os arequipeños costumam acompanhá-lo com pão de três bochechas embebido em seu molho. O historiador Enrique Ramírez aponta que a origem deste prato foi no distrito de Arequipa de Cayma em 1525.

  • Onde comer? Restaurante La Nueva Palomino, restaurante Laurita Cau Cau ou mercado San Camilo.
  • Quanto custa? (aproximadamente): De 10 a 50 soles dependendo do restaurante que você escolher.

Chupe de camarones

Chupe de camarones
Chupe de camarones

O chupe de camarones é um prato famoso em todo o Peru, embora seja originário de Arequipa. Como o próprio nome indica, o camarão do rio é seu principal ingrediente. É uma sopa temperada com batata, queijo, leite, favas, ervilhas, milho, arroz e ovo. Embora o camarão possa ser capturado em qualquer rio do Peru, o camarão é tradicionalmente capturado nos rios Ocoña e Majes em Arequipa. É um dos pratos mais famosos dos picadores de Arequipa. Sua fama também é difundida na cidade de Lima.

  • Onde comer? Restaurante La Nueva Palomino, Restaurante Laurita Cau Cau ou Restaurante La Lucila.
  • Quanto custa? (aproximadamente): De 15 a 60 soles dependendo do restaurante que você escolher.

Ocopa arequipeña

Ocopa arequipeña
Ocopa arequipeña

Ocopa é um molho muito popular em todo o Peru, embora suas origens estejam na cidade de Arequipa. Seu preparo é semelhante ao também famoso ‘papa a la huancaína’. É feito de pimenta amarela, queijo, leite, huacatay, amendoim, bolachas, óleo e sal. Este prato é geralmente acompanhado por um ovo cozido e alface fresca. Os peruanos o preferem como prato inicial. A ocopa tem uma tradição andina. Acredita-se que tenha origens anteriores à invasão espanhola do século XVI.

  • Onde comer? Restaurante Laurita Cau Cau, restaurante La Lucila ou mercado San Camilo.
  • Quanto custa? (aproximadamente): De 5 a 20 soles dependendo do restaurante que você escolher.

Pastel de papa

Pastel de papa
Pastel de papa

O mundialmente famoso bolo de batata tem características próprias em Arequipa. O mais notável é que em Arequipa este bolo não tem recheio de carne. É feito com batatas brancas, queijo, leite, farinha, ovos, manteiga, óleo e anis. Todos esses ingredientes são cozidos no forno por aproximadamente 30 minutos. Os arequipeños costumam acompanhar o rocoto recheado com o bolo de batata.

  • Onde comer? Restaurante Laurita Cau Cau, restaurante La Lucila ou mercado San Camilo.
  • Quanto custa? (aproximadamente): De 5 a 20 soles dependendo do restaurante que você escolher.

Chaque

Sopa de Chaque
Sopa de Chaque

Chaque é uma deliciosa sopa originária da cidade de Arequipa. Seus ingredientes são principalmente andinos, por isso acredita-se que suas origens remontam aos mesmos tempos incas. É feito de costelas de boi, tripas de boi, trigo, milho, batata, cenoura, repolho, chuño, bem como alho, sal, óleo e outras especiarias. Os arequipeños têm a tradição de consumi-lo às segundas-feiras. É amplamente consumido nos mercados populares da região.

  • Onde comer? Restaurante Laurita Cau Cau, restaurante La Nueva Palomino ou mercado San Camilo.
  • Quanto custa? (aproximadamente): De 5 a 20 soles dependendo do restaurante que você escolher.

Chupe de olluco

Chupe de olluco
Chupe de olluco

O Peru é uma terra onde costumam ser preparados diferentes tipos de ‘chupes’. Há chupe de camarão, chupe de abóbora, chupe de fava e também chupe de olluco. Como o próprio nome indica, este prato é preparado com olluco picado, queijo, abóbora, milho, fava, batata amarela, huacatay, leite, sal e pimenta. Seus ingredientes são produzidos principalmente nos Andes do Peru. Os arequipeños costumam consumi-lo como entrada nos principais mercados da cidade.

  • Onde comer? Restaurante La Lucila, restaurante La Nueva Palomino ou mercado San Camilo.
  • Quanto custa? (aproximadamente): De 10 a 30 soles dependendo do restaurante que você escolher.

Locro de pecho

Locro de pecho
Locro de pecho

Embora este prato seja preparado em todo o Peru, em Arequipa é onde ganhou mais fama. Seu ingrediente principal é o peito bovino. Batata branca, pimentão vermelho, cebola, nabo, aipo, sal e hortelã também são usados. Em todo o país é consumido acompanhado de arroz branco. Em Arequipa, costuma ser consumido nas “picanterías” da “cidade branca” como prato principal. Pode ser acompanhado por um copo de chicha.

  • Onde comer? Restaurante La Nueva Palomino, mercado San Camilo ou qualquer restaurante da cidade.
  • Quanto custa? (aproximadamente): De 10 a 40 soles dependendo do restaurante que você escolher.

Escribano arequipeño

Escribano arequipeño
Escribano arequipeño

Este prato peculiar de Arequipa é uma salada feita com pimenta rocoto, batata, tomate, vinagre e sal e azeite. Seu nome deve-se a uma história que diz que os escribas trabalharam por muito tempo, por isso chegaram tarde às picanterias em Arequipa. Foi assim que foi servido este prato fácil de preparar. O Escribano geralmente é servido decorado com ramos de huacatay. Em alguns restaurantes picantes são adicionados frutos do mar. É preparado como um prato inicial.

  • Onde comer? Restaurante La Lucila, restaurante La Nueva Palomino ou mercado San Camilo.
  • Quanto custa? (aproximadamente): De 5 a 20 soles dependendo do restaurante que você escolher.

Cuy chactado

Cuy chactado
Cuy chactado

O cuy chactado é um prato difundido principalmente na região andina do Peru. Embora suas origens sejam incertas, o povo de Arequipa afirma ser o criador deste prato feito de cobaias. Também é preparado com fubá, limão, alho, pimenta, cominho e tudo frito em uma panela com bastante óleo. O cuy chactado está presente nos principais restaurantes turísticos da cidade. Geralmente é acompanhado de batatas, cebola e, a pedido do cliente, um copo de chicha.

  • Onde comer? Restaurante Laurita Cau Cau, restaurante La Nueva Palomino ou mercado San Camilo.
  • Quanto custa? (aproximadamente): De 30 a 70 soles dependendo do restaurante que você escolher.

 

Por Machupicchu Terra – Ultima atualização, maio 9, 2022


Mais guias que podem te ajudar

Os 7 vulcões de Arequipa

Arequipa é uma terra vulcânica. Em sua geografia montanhosa é possível observar altas montanhas e vulcões de grande beleza cênica. O mais famoso é o Misti, que adorna a “cidade branca”. Ao lado estão os vulcões Chachani e Pichu Pichu. Mas neste departamento do sul do Peru existem mais vulcões de grande altitude. Conheça-os e venha visitá-los!

Os 7 vulcões de Arequipa

Os Yaraví de Arequipa, breve história

O yaraví é um canto muito praticado na época colonial. Mariano Melgar de Arequipa foi um dos grandes cultistas e talvez o mais reconhecido. Nesse sentido, ao falar de Arequipa, é inevitável não falar do poeta, mártir e herói da independência, junto com os famosos yaravíes, canções e poemas que se tornaram muito parecidos com a troba.

Os Yaraví de Arequipa, breve história