Urubamba

A cidade de Urubamba é a capital da província de mesmo nome em Cusco, Peru. Foi um dos locais mais importantes do Vale Sagrado dos Incas. Suas terras são férteis. Suas montanhas, imponentes. Centenas de turistas chegam todos os dias para descobrir suas belas paisagens, praticar esportes de aventura, saborear a culinária peruana, pernoitar em seus aconchegantes hotéis e tomar o trem que leva a Machu Picchu.



O que é Urubamba?

Urubamba é uma das cidades mais importantes do Vale Sagrado dos Incas. No passado foi uma área agrícola muito valorizada pelos Incas por suas terras férteis. Ainda é possível apreciar as plataformas, terraços, paredes e recintos incas. Hoje é a capital da província com o mesmo nome. Um local onde chegam centenas de turistas diariamente. A cidade possui restaurantes e hotéis de alta qualidade. Lá você também pode praticar esportes de aventura. Possui uma estação ferroviária em direção a Machu Picchu. A poucos quilômetros de distância estão as famosas minas de sal de Maras e as plataformas circulares de Moray.

Localização e altitude

A cidade de Urubamba está localizada no coração do Vale Sagrado dos Incas, no departamento de Cusco no Peru. Fica a 60 quilômetros de estrada da cidade de Cusco (1 hora e 30 minutos de viagem). A cidade fica aos pés do rio Vilcanota, em um vale verdejante cercado por montanhas imponentes e montanhas cobertas de neve como Chicón e Pumahuanca.

A cidade está localizada 2.687 metros acima do nível do mar (8.815 pés de altitude). Esta altura oferece um clima ameno e agradável ao visitante. Os sintomas do mal da altitude são menores em comparação com a cidade de Cusco, localizada a 3.399 metros de altitude (11.151 pés).

Mapa para chegar a Urubamba

Como chegar?

Urubamba é alcançado por duas rotas de carro. Todos partem da cidade de Cusco. O primeiro, e mais curto, passa pela cidade de Chinchero em um percurso de 60 quilômetros (1 hora 24 minutos). Você pode viajar de táxi, embora a melhor opção seja pegar um serviço público na rua 'Pavitos', localizada a poucas quadras da praça principal de Cusco.

O outro percurso, o mais longo que atravessa as localidades de Pisac e Calca, tem uma extensão de 72 quilómetros (cerca de 1 hora 44 minutos). Carros de transporte público e minivans partem da rua 'Puputi', também localizada a uma curta distância da praça da cidade.

História de Urubamba

Urubamba, como o resto do Vale Sagrado dos Incas, era uma área geográfica habitada por grupos humanos que se juntaram ao império Inca por volta do século XIII. Esta área foi uma importante área agrícola onde os Incas construíram plataformas e recintos onde cultivavam batata, milho, oca e quinua, entre outros. O rio Vilcanota (o Wilcamayu para os Incas) assim como as montanhas Chicón e Pumahuanca; Eles eram entidades divinas, de acordo com a visão de mundo Inca. Portanto, o local é um assentamento importante para os Incas.

Durante a chegada dos espanhóis a Cusco no século 16, muitas das construções de templos e palácios no Vale Sagrado dos Incas foram destruídas. Apenas muitas das plataformas foram mantidas para trabalhos agrícolas em favor da colônia. Naquela época muitas casas coloniais foram construídas, assim como o templo de São Francisco localizado na praça principal. Em 1825 foi criada a província de Urubamba. A cidade de mesmo nome era a capital da referida província, que também inclui o distrito de Machu Picchu.

Hoje, Urubamba é um dos destinos mais visitados pelos turistas. Possui um clima ameno e uma bela geografia que é ideal para esportes de aventura. A cidade possui os melhores hotéis e restaurantes do Vale Sagrado dos Incas. Há também uma estação ferroviária com saídas diárias para a estação Machu Picchu. Perto de Urubamba estão alguns dos sítios arqueológicos mais famosos, como Maras, Moray, Chinchero, Ollantaytambo e a cidade inca de Machu Picchu.

Atrativos turísticos

Moray – As plataformas incas de Moray são um conjunto de plataformas circulares construídas pelos Incas para a experimentação de diversos produtos agrícolas como batata, oca, quinua, folha de coca, entre outros. O conjunto dessas imensas plataformas forma uma das paisagens mais populares do Vale Sagrado dos Incas. Ele está localizado a apenas 22 quilômetros da cidade de Urubamba.

Maras – A vila e as Salineras de Maras são duas das atrações turísticas mais conhecidas do Vale Sagrado. A cidade mantém sua igreja e ruas de estilo colonial. As salinas são mais de dois mil poços de sal que juntas formam uma bela paisagem muito fotografada pelos turistas. Essas atrações turísticas estão a 5 quilômetros da cidade de Urubamba.

Museu Inkariy – Este museu é um dos menos conhecidos porque não é na cidade de Cusco onde se encontra a grande maioria. No entanto, possui várias salas de exposição que mostram o estilo de vida das diferentes culturas do Peru em ordem cronológica: Caral, Chavín, Chimú, Wari, Nazca, Mochica, Chachapoyas e Inca. Está localizado a 16 quilômetros da cidade de Urubamba.

Rio Vilcanota – O Rio Vilcanota, também conhecido como Rio Urubamba, é ideal para a canoagem. Também passa por outras cidades do Vale Sagrado, como Pisac, Ollantaytambo e até Machu Picchu. Em Urubamba faz parte de sua bela paisagem. Foi sagrado para os Incas e hoje é muito fotografado pelos turistas.

Templo de San Pedro Apóstol – Esta igreja, a mais antiga e principal da cidade, foi construída em 1686. Sua arquitetura colonial também apresenta decoração barroca com altar em folha de ouro e placas de prata. A decoração oferece figuras de animais e flores típicas da região.

Esportes de aventura

Canoagem – O rio Vilcanota é ideal para a canoagem nos níveis II, III, IV e V, que variam de acordo com a época do ano. De abril a outubro são realizados os níveis para iniciantes, enquanto de novembro a março, para os níveis mais avançados. Durante o passeio você também desfrutará de incríveis paisagens das montanhas e vales do Urubamba.

Escalada – Distante apenas cerca de 25 quilômetros da cidade de Urubamba, no setor Pachar, pratica-se o montanhismo. Este desporto tem todos os elementos de segurança, pelo que é permitido a pessoas inexperientes. Existem paredes para os níveis mais básicos, bem como paredes para visitantes mais experientes. Do alto tem-se uma vista incrível de todo o vale do Urubamba.

Parapente – As altas montanhas próximas à cidade de Urubamba são ideais para o parapente. Este esporte é realizado no mirante Racchi, de onde se tem uma vista privilegiada de todo o Vale Sagrado dos Incas. Tanto iniciantes quanto experientes podem praticar este esporte. O mirante Racchi fica a cerca de 20 minutos de carro de Urubamba.

Hotéis

A cidade de Urubamba tem vários serviços de alojamento, desde hotéis de 5 estrelas a serviços partilhados muito baratos. Os preços variam de US $ 300 por noite a estadias individuais de US $ 15 por noite. Uma opção de aventura é o famoso 'Skylodge Adventure Suites', que está pendurado em uma encosta em direção ao rio Vilcanota. Muitos turistas optam por ficar em Urubamba em vez de Cusco, pois o clima é mais quente e não há sintomas graves do mal da altitude. Os serviços podem ser reservados na própria cidade ou online.

Restaurantes

Alguns dos melhores restaurantes de Cusco estão na cidade de Urubamba. Os preços variam de acordo com a qualidade do serviço. Os turistas podem obter pratos gourmet por US $ 30 em média. Você também pode obter um menu (entrada e prato principal) no mercado da vila, por apenas cerca de 3 dólares americanos. Em qualquer lugar se oferece a comida peruana, considerada uma das melhores cozinhas do mundo. Entre os pratos mais procurados estão: o ceviche, a causa recheada, a truta frita, o lomo saltado, entre outros.

Estação ferroviária de Urubamba

A estação ferroviária de Urubamba fica no centro da cidade, cercada por altas montanhas, campos verdes e o rio Vilcanota. Tem poucas saídas diárias para Machu Picchu. Um deles é o chamado 'Trem do Vale Sagrado' do Peru Rail, que sai diretamente desta cidade. Este trem inclui almoço (ou jantar gourmet), bem como um carro observatório, lanches, bebidas de cortesia e muito mais. A estação está localizada na Avenida Ferrocarril s / n. Poucos turistas optam por embarcar em seu trem em Urubamba. A maioria o faz na cidade de Ollantaytambo.

Quanto custa?

A maioria dos turistas visita Urubamba durante a excursão de 1 dia ao Vale Sagrado dos Incas. Este passeio inclui uma visita às cidades e sítios arqueológicos de Pisac, Chinchero, Ollantaytambo e também um almoço gourmet na cidade de Urubamba. É por isso que os visitantes só têm a oportunidade de apreciar esta bela cidade por pouco tempo. A outra opção é ir sozinho para Urubamba. Para isso, basta pegar um dos transportes públicos que saem da rua Pavitos (trajeto direto) ou da rua Puputi (trajeto mais longo). O custo da viagem é de aproximadamente 10 soles por pessoa (3 dólares americanos). Uma vez em Urubamba, você pode visitar qualquer uma das atrações turísticas por conta própria.

Clima

Urubamba tem clima temperado. É uma das localidades com clima mais agradável, segundo a opinião dos visitantes. A temperatura máxima durante o dia pode chegar a 23ºC. (73,4ºF). A temperatura mais fria à noite pode cair para 4ºC. (39,2ºF). A estação chuvosa é registrada de novembro a abril. Por outro lado, de maio a outubro ocorre a estação seca, aquela com menos chuvas mas mais fria à noite.

Imagens de Urubamba

Rio Urubamba atravesando el Valle Sagrado de los Incas
Traje típico - Urubamba
Marka Qocha Urubamba
Veja mais fotos de viajantes

Algumas informações adicionais

O nome 'Urubamba' vem de uma palavra quíchua, a língua dos incas que significa 'pampas a day's walk'.

Urubamba possui uma ótima infraestrutura hoteleira. Porém, os hotéis da cidade de Cusco recebem a maioria dos turistas, principalmente devido à sua proximidade com o aeroporto da cidade. Isso pode mudar quando a construção do aeroporto de Chinchero (localizado a apenas 30 quilômetros de Cusco) for concluída. Para muitos especialistas, o turismo em Urubamba cresceria exponencialmente.

Todos os 'passeios ao Vale Sagrado dos Incas' incluem uma rápida visita e almoço na cidade de Urubamba. Para conhecer melhor esta cidade é melhor ir sozinho. Durante o percurso, você também pode visitar outras cidades vizinhas, como Pisac, Chinchero ou Ollantaytambo.

Urubamba é uma das cidades onde mais turistas decidiram ficar e viver. Muitos se encantam com o estilo de vida simples de seus habitantes. A calma de suas ruas. E, acima de tudo, a beleza de suas paisagens. É normal encontrar um estrangeiro que decidiu ficar nesta cidade.

Dicas para sua visita

Quando você visitar Urubamba leve roupas confortáveis ​​e bons sapatos com você para explorar a cidade. Uma boa opção é saborear a deliciosa comida peruana em alguns de seus restaurantes. Claro que na sua mochila não deve faltar chapéu, água reidratante, capa de chuva, protetor solar, bem como algum dinheiro e seu passaporte ou documento de identidade.

Urubamba possui uma ótima infraestrutura hoteleira. Porém, os hotéis da cidade de Cusco recebem a maioria dos turistas, principalmente devido à sua proximidade com o aeroporto da cidade. Isso pode mudar quando a construção do aeroporto de Chinchero (localizado a apenas 30 quilômetros de Cusco) for concluída. Para muitos especialistas, o turismo em Urubamba cresceria exponencialmente.

O mal da altitude (soroche) pode afetar qualquer pessoa que não esteja acostumada com as geografias das montanhas. Os sintomas mais comuns são náusea, dor de cabeça e fadiga. Geralmente, desaparecem alguns dias após a aclimatação do corpo. Claro que em Urubamba, por se situar a uma altitude mais baixa que Cusco, esses sintomas aparecem com menos desconforto.

Atracções turísticas perto de Urubamba

Ollantaytambo

Ollantaytambo é uma cidade e cidade inca no Vale Sagrado dos Incas. Possui templos, muralhas, plataformas e muito mais. Daí parte o trem para Machu Picchu.

Ollantaytambo

Santa Teresa

Santa Teresa é uma aldeia de Cusco perto de Machu Picchu. É famoso por seus banhos termais de Cocalmayo, seu clima tropical e seus serviços turísticos.

Santa Teresa

Chinchero

Chinchero é famosa por seu sítio arqueológico (Palácio de Túpac Yupanqui). A cidade se destaca por seus costumes, centros têxteis, igreja e vestuário.

Chinchero