Pisac

Pisac é o nome de uma aldeia no Vale Sagrado dos Incas. Na parte alta desta cidade fica o sítio arqueológico da antiga cidade inca de Pisaq, que teria abrigado o próprio Inca Pachacutec. O recinto abriga muitas estruturas de pedra esculpida de alta qualidade. Eles destacam o famoso 'Intihuatana', uma estrutura religiosa em homenagem ao sol. Todos os domingos, a cidade oferece uma feira de artesanato onde uma grande variedade de souvenirs é vendida a bons preços. Por tudo isso, é um dos destinos mais procurados do Vale Sagrado dos Incas.



Explore Pisac

Pisac fica a apenas 34 quilômetros da cidade de Cusco. Visite esta cidade peculiar e conheça seu sítio arqueológico Inca, seu famoso mercado e muito mais.

Mercado de Pisac

1. Mercado de Pisac

O mercado Pisac oferece joias, roupas de alpaca, instrumentos musicais e muito mais artesanato e alimentos. Aos domingos, o comércio é mais colorido.

Mercado de Pisac
Jardim Botânico de Pisac

2. Jardim Botânico de Pisac

O jardim está localizado na cidade de Pisac, no Vale Sagrado dos Incas. Possui exemplares de flores, insetos, cactos e outras espécies da flora.

Jardim Botânico de Pisac

3. Sítio arqueológico de Pisac

O sítio arqueológico de Pisac, está localizado no Vale Sagrado dos Incas. Seu nome significa 'perdiz' pois o lugar tem a forma desta ave andina.

Sítio arqueológico de Pisac

O que é Pisac?

Pisac refere-se ao sítio arqueológico e à antiga cidade inca que teria sido destinada ao imperador Pachacutec no século XV. Também se refere ao povoado que se formou ao pé do sítio arqueológico, famoso por seu mercado de artesanato e pelas belas paisagens de rios e montanhas que também fazem parte do Vale Sagrado dos Incas.

O que significa Pisac?

Pisac é uma palavra que vem da palavra quíchua 'Pisaqaq' que significa 'perdiz'. Isso se deve ao fato de que todo o perímetro de todo o recinto possui a forma desta ave, característica dos Andes peruanos. Como Pisac, muitas cidades e templos tinham a forma de um animal. Outro exemplo significativo é a antiga cidade de Cusco, capital do império inca, que tinha a forma de um puma.

Localização

A cidade e sítio arqueológico de Pisac fica a aproximadamente 43 quilômetros da cidade de Cusco por estrada. O site Inca está localizado 3.300 metros acima do nível do mar (10.826 pés). A cidade, localizada em suas encostas, tem 2.974 metros (9.757 pés).

Mapa para chegar a Pisac

Como chegar?

Chegar ao Pisac é muito fácil. É a cidade do Vale Sagrado dos Incas mais próxima da cidade de Cusco. Chega-se por via rodoviária em uma viagem de apenas 1 hora em média. Pode-se pegar um táxi, embora a opção mais econômica seja pegar os serviços de transporte público localizados na rua Puputi, muito perto do Centro Histórico da cidade de Cusco.

História

Pisac, o vale ao pé do rio Vilcanota, foi habitado no início do século XII por tribos andinas como os Calcas e os Ancasmarca. Com a chegada de Manco Capac (o primeiro governante dos incas) a Cusco no século XIII, ele conseguiu estabelecer alianças com esses povos vizinhos. Foi então que Pisac, localizado no limite nordeste da capital Inca, foi um ponto importante onde eles tiveram que se estabelecer.

No século XV, quando os Incas alcançaram sua expansão mais vertiginosa, o imperador Pachacutec ordenou a construção de uma cidade no topo da montanha 'Apu Inti Huatana', que domina todo o vale do rio Vilcanota. Esta imensa cidadela tinha tudo para sua subsistência: plataformas, canais de água, recintos, templos, escadas e muito mais. Seria o recinto do Inca Pachacutec, de onde o Vale Sagrado dos Incas dominava.

Durante a conquista espanhola no século 16, Pisac foi invadida. Muitas de suas estruturas foram danificadas, principalmente o conjunto de centenas de tumbas incas, consideradas profanas pelos europeus. Entre 1570 e 1575, o vice-rei Toledo criou a redução da cidade de Pisac, onde foram construídas igrejas cristãs e casas coloniais. A tradição do comércio em Pisac continua até hoje através do famoso mercado de artesanato que acontece todos os domingos. Atualmente, sua população fala quíchua, a língua dos incas e preserva muitas tradições da colônia e do período inca.

Sítio arqueológico de Pisac

As muralhas – Conjunto de grandes paredes que serviam de entrada ao recinto na parte oriental. Possui cinco portas ou entradas onde se destaca o 'Amaru Punku', palavra quíchua que significa 'Porta da Cobra'.

Os túneis – Dois corredores dentro da montanha Pisac que teriam servido para a realização de rituais religiosos. O primeiro atinge 16 metros e o segundo, 3 metros.

A Ponte inca – As bases de várias pontes suspensas Inca em Pisac estão localizadas no lado oeste do recinto. Essas pontes eram feitas de palha selvagem e foram amplamente utilizadas em todo o império.

O Intihuatana – A estrutura mais importante em Pisac é o Intihuatana, uma palavra quíchua que significa 'Relógio Solar'. Esta estrutura cerimonial feita de pedra em vários níveis está na parte superior do recinto. A superfície superior, em forma de mesa, teria servido para a realização de sacrifícios de animais em homenagem ao deus sol, o mais importante dos incas. Em Machu Picchu e outros templos incas, também existem 'Intihuatanas'.

As colcas ou depósitos – As colcas eram construções circulares onde os alimentos eram armazenados. Em Pisac existem até um conjunto de seis depósitos dispostos em fileiras de tamanhos iguais. Os Colcas foram construídos em várias partes do vasto império dos Incas.

O cemitério Inca – Bem em frente ao sítio arqueológico de Pisac existem cavidades aninhadas em um alto cume. Estes pertenciam a um antigo cemitério Inca que abrigava até 10.000 túmulos. Os Incas acreditavam na reencarnação. Portanto, eles foram enterrados com alguns pertences. Com a invasão espanhola no século 16, o cemitério foi saqueado e destruído.

As torres – No topo da Pisac existe um conjunto de grandes torres de pedra polida. Estes protegiam o recinto de dimensões possíveis. Eles também teriam servido para o fluxo de água no local. Devido à abundância dessas construções, Pisac também ficou conhecida como a 'Cidade das Torres'.

A ñusta Encantada – No caminho para Pisac há uma formação rochosa no formato de uma mulher carregando alforjes nas costas, como era a tradição Inca. A tradição oral atribui essa estrutura à lenda da princesa Inca Inquill, que foi transformada em pedra como um castigo dos deuses por não obedecer a seu pai.

O Tiyanacuy – Pisac é composto por vários bairros ou conjuntos de recintos onde se destacam vários edifícios menores. Por exemplo, em Tiyanacuy há um trono para duas pessoas finamente esculpido em uma rocha. Essa estrutura teria sido destinada ao próprio Inca Pachacutec e sua esposa.

A casa calla – Este conjunto de recintos, ao contrário dos restantes de Pisac, foi construído de forma rústica aproveitando as formações rochosas do alto dos morros. Você chega lá evitando caminhos difíceis ao lado de penhascos. Haveria serviço para a classe mais comum que habitava a cidade.

Pisaq – No bairro Pisaq ou Pisaq'a existe um conjunto de mais de vinte caixas de pedra esculpida de boa qualidade. Ele também destaca um mirante de onde você pode ver o Vale Sagrado dos Incas e, atualmente, a cidade de Pisac.

Cidade de Pisac

A cidade de Pisac é uma das cidades mais famosas do Vale Sagrado dos Incas. Encontra-se ao pé do sítio arqueológico inca com o mesmo nome. Durante a colônia foi uma redução de índios onde foram construídos templos, praças e casarões. Destaca-se a sua igreja, denominada 'San Pedro Apóstol', devido ao santo que a guarda. Nesta localidade chamam a atenção as belas paisagens de montanha e o rio Vilcanota que banha os seus campos. Também seu mercado de artesanato, famoso em todo Cusco. Possui diversos serviços de hotelaria e restauração para receber as centenas de turistas que ali chegam todos os dias para visitar o seu sítio arqueológico e as suas belas ruas.

Mercado Pisac

O mercado de Pisac é uma das atrações turísticas mais populares do Vale Sagrado dos Incas. Fica na cidade de mesmo nome. Tem suas origens na época colonial onde os produtos eram trocados em sua praça. Hoje, todos os dias oferece uma grande variedade de mantimentos e artesanato. No entanto, é aos domingos, quando chegam os mercadores de diferentes partes do vale, que se enche de mais cor e, claro, de melhores preços. A multidão se reúne na praça da cidade para fazer suas compras. Os turistas podem encontrar diversos produtos artesanais como: roupas de alpaca, cerâmicas, camisas pólo, joias de ouro e prata, máscaras, fotografias, tapeçarias, mochilas e muito mais.

Quanto custa para visitar Pisac?

Com tour – Um tour ao Vale Sagrado dos Incas Full Day All Inclusive (inclui visita ao povoado, mercado e sítio arqueológico de Pisac); Tem um custo aproximado de 70 dólares americanos.

Por conta própria – Para ir por conta própria você deve comprar o 'Bilhete Turístico Parcial de Cusco' que custa 70 soles peruanos (US $ 22) e inclui: Pisac, Chinchero, Ollantaytambo e Moray. Também é necessário contratar transporte (privado ou público) e serviço de guia turístico (no mesmo local).

Horário de visitas

Você pode visitar o sítio arqueológico de Pisac todos os dias do ano, das 7 da manhã às 6 da tarde.

O que levar?

Quando for a Pisac não esqueça de trazer:

Clima

Pisac tem um clima temperado. Durante a noite, a temperatura pode cair para 2 graus Celsius (35,6 Fahrenheit). Durante o dia, o calor pode chegar a 22 graus Celsius (71,6 Fahrenheit). As chuvas são mais frequentes de novembro a abril. De maio a outubro o clima é seco, com poucas chances de chuva. Segundo os especialistas, é a melhor época do ano para ir.

Imagens de Pisac

Andenes agrícolas de Pisac
Mercado artesanal de Pisac
Pisac en el Valle Sagrado de los Incas
Veja mais fotos de viajantes

Dicas para sua visita

Se visita Pisac por conta própria, deixe-se levar pela gastronomia desta cidade. A especialidade é 'cuy al palo', um prato típico de Cusco feito de cuy (cobaia). Você também pode saborear outros pratos da comida peruana, uma das melhores do mundo. Na cidade existem bons restaurantes.

Durante a sua visita ao sítio arqueológico de Pisac, você terá que caminhar, subir e descer escadas e plataformas. Por causa disso, você certamente sentirá uma agitação acelerada. Isso se deve à geografia de grande altitude nos Andes. Vá devagar, sem se esforçar mais do que o normal.

Pisac também é famosa por seus joalheiros, onde há demonstrações de confecção de objetos de prata. Muitas dessas lojas oferecem preços abaixo do que você encontraria em outras lojas de Cusco, Vale Sagrado dos Incas e Machu Picchu.

Se for visitar Pisac, também deve aproveitar para conhecer os outros povoados do Vale Sagrado dos Incas como: Calca, Urubamba, Moray, Maras, Ollantaytambo e Chinchero. Todos eles têm muito a oferecer. Os passeios pelo Vale Sagrado dos Incas já incluem uma visita a esses lugares. No entanto, se você estiver indo por conta própria, pegue um ônibus e passeie por todos os lugares que puder.

Atracções turísticas perto de Pisac

Urubamba

Urubamba é uma aldeia localizada no Vale Sagrado dos Incas. É famosa pela beleza de suas paisagens, seu clima agradável e esportes de aventura.

Urubamba

Ollantaytambo

Ollantaytambo é uma cidade e cidade inca no Vale Sagrado dos Incas. Possui templos, muralhas, plataformas e muito mais. Daí parte o trem para Machu Picchu.

Ollantaytambo

Quillabamba

Quillabamba é a capital da província de La Convencion em Cusco. É famosa por suas cachoeiras, piscinas, clima quente, flora, fauna, café, cacau e muito mais.

Quillabamba