Trilha Inca para Machu Picchu

A Trilha Inca para Machu Picchu é a rota de caminhada mais famosa do Peru. Também é considerado um dos melhores do planeta. Fazia parte da imensa malha rodoviária que alcançava 30 mil quilômetros nos atuais países do Peru, Bolívia, Colômbia, Equador, Chile e Argentina. Hoje, uma parte dessas estradas (39 quilômetros) é percorrida por turistas até chegarem à cidade inca de Machu Picchu através do portão usado pelos incas, o Intipunku (portão do sol). É uma das aventuras mais famosas de Cusco.



O que é a Trilha Inca?

A Trilha Inca para Machu Picchu é a rota de 4 dias e 3 noites que atravessa uma parte das antigas estradas construídas pelos Incas 'qhapac ñan'. É um percurso de apenas 39 quilômetros que termina em Machu Picchu, passando pelo Intipunku (Portão do Sol em língua Quechua), portal de acesso utilizado pelos Incas. Durante esta caminhada, os turistas além de apreciar as belezas das paisagens andinas e tropicais de Cusco; Poderá ver outros edifícios famosos como Llactapata, Runkurakay, Sayacmarca, Phuyupatamarca, Wiñayhuayna e, no final, Machupicchu. É considerada uma das melhores trilhas para caminhadas do mundo.

Onde está?

A rota da Trilha Inca está localizada em Cusco, Peru. Começa no quilômetro 82 da ferrovia que conecta a cidade de Ollantaytambo com a cidade de Aguas Calientes. Em seguida, escale altas montanhas e desça pela selva tropical para finalmente chegar a Machu Picchu.

Mapa da Trilha Inca

História

O Qhapac ñan – Qhapac ñan é uma palavra quíchua que significa 'estrada principal'. O seu nome deve-se ao facto de ter sido a rede rodoviária mais importante construída pelos Incas em todo o vasto império dos Incas. Abrangeu mais de 30 mil quilômetros de trechos de pedra, incluindo pontes, armazéns, cidadelas e muito mais. Os incas usaram essa enorme rede de estradas para chegar a todos os cantos do império. Sua maior expansão ocorreu no século 15, sob o mandato do Inca Pachacutec. Essas estradas cobrem os atuais países do Peru, Bolívia, Equador, Colômbia, Chile e Argentina. Com base em muitas dessas estradas, as estradas principais foram construídas. Em 2014 foi reconhecido pela UNESCO como 'Patrimônio Cultural da Humanidade'. Uma pequena parte desse caminho é a que chega a Machu Picchu. Percorrer este percurso é uma das caminhadas longas mais famosas do mundo.

A trilha inca para Machu Picchu – A Trilha Inca que chega a Machu Picchu foi mandada construir pelo Inca Pachacutec no século XV. O objetivo desta rota era comunicar a nova cidade Inca com o resto de Cusco, a capital do império. No entanto, esta rota foi seguida mais como uma peregrinação porque ao longo dela foram construídas outras cidadelas e templos, como Llactapata, Runkurakay e Wiñayhuayna. Durante a colônia espanhola, esta rota não teve grande importância porque havia pouca produção de alimentos que Machupicchu possuía. Até acredita-se que os espanhóis nunca chegaram lá. Em 1911, o explorador americano Hiram Bingham chegou a Machupicchu e deu a conhecer ao mundo, junto com alguns trechos da trilha Inca. Desde então, começaram os trabalhos de escavação e valorização desta rota, que hoje é uma das mais populares para os caminhantes de todo o mundo.

O que você vai ver?

Rota de caminhada – O percurso pedestre dura 4 dias e 3 noites. Percorrer seus 39 quilômetros é uma grande aventura para os visitantes que se atrevem a fazer este roteiro. Tem uma dificuldade moderada. Nos primeiros dias você passa por difíceis paisagens montanhosas. Nos últimos dois dias você desce pela selva tropical de Cusco até chegar a Machu Picchu. O roteiro é protegido pelo Estado peruano, portanto, só pode ser feito com um tour. Ninguém pode entrar lá sem permissão.

Flora e fauna – Uma das principais atrações durante a Trilha Inca é a abundante flora e fauna que podem ser vistas durante a caminhada. A espécie de flores mais famosa é a orquídea e suas mais de 400 variedades que estão no local. Você também pode ver arbustos, samambaias, musgos e muito mais. Os pássaros e animais selvagens mais representativos da região são: o urso de óculos, o veado andino, a lhama, o galo das pedras, o pato da torrente, a vizcacha e as muitas variedades de borboletas.

Llactapata – Este sítio arqueológico está localizado em linha reta a 5 quilômetros de Machu Picchu. Seu nome significa 'cidade alta'. Isso se deve à sua localização no topo de uma montanha e próximo a temíveis falésias. O local tem paredes e terraços que aparentemente abasteciam Machupicchu. O escoteiro Hiram Bingham veio fazer algumas anotações. De lá você tem uma vista privilegiada da cidade Inca e da montanha Huayna Picchu.

Runkurakay – O nome deste site vem de uma palavra quíchua que significa 'Casa Abandonada'. É um edifício semicircular localizado a 8,6 quilômetros em linha reta de Machu Picchu. Além da praça central, possui paredes, janelas, nichos, nichos e portas trapezoidais. Seu objetivo ainda é impreciso. Presume-se que tenha servido como 'tambo' ou centro de armazenamento de alimentos.

Sayacmarca – O complexo arqueológico de Sayacmarca era um centro cerimonial que tinha uma praça, janelas, paredes, canais e fontes de água. Ele está localizado no topo de uma montanha e perto de penhascos assustadores. O explorador americano Hiram Bingham chegou ao local em 1915. O local também é conhecido como 'Cedrobamba', devido à quantidade de cedros que existem. Segundo pesquisas recentes, pode ter pertencido a outra cultura conquistada pelos Incas.

Phuyupatamarca – Este sítio arqueológico é conhecido como 'Lugar acima das nuvens' devido à sua localização elevada (3.600 metros acima do nível do mar) onde as nuvens chegam. É constituído por recintos, janelas, nichos, casas de banho e miradouros de onde se pode ver toda a geografia do local. O local está localizado em linha reta a 5 quilômetros de Machupicchu. É um dos lugares mais famosos da Trilha Inca.

Wiñayhuayna – O nome deste sítio arqueológico vem de uma palavra quíchua que significa 'Eternamente jovem'. São apenas 3,3 quilômetros em linha reta em direção a Machu Picchu. É constituída por vários recintos de pedra granítica que incluem portadas, escadas, janelas, nichos e, sobretudo, plataformas íngremes. Sua função teria sido a produção de alimentos. É muito visitada por turistas, tanto os que fazem a Trilha Inca de 4 dias quanto os que fazem o caminho alternativo de apenas 2 dias.

Machu Picchu – A cidade inca de Machupicchu é o destino final da Trilha Inca. O portão de entrada Intipunku foi usado pelos incas há centenas de anos. É constituído por centenas de recintos, escadas, templos, janelas, paredes, casas de banho, praças e tantos outros edifícios que perfazem mais de 150 e que são o grande atractivo dos turistas. Em 2007, o sítio arqueológico foi nomeado uma 'maravilha do mundo moderno'.

Esta é a Trilha Inca dia a dia

Dia 1 – O primeiro dia da Trilha Inca começa com o traslado do grupo de turistas da cidade de Cusco ao ponto de partida da caminhada no quilômetro 82 da ferrovia que conecta Ollantaytambo com Aguas Calientes. Em seguida, uma árdua subida pelas montanhas andinas começa até chegar ao acampamento Wayllabamba através do sítio arqueológico Llactapata. Nesse dia, eles viajarão cerca de 13 quilômetros.

Dia 2 – No segundo dia, os turistas continuarão subindo a colina até chegar ao ponto mais alto da caminhada na 'abra da mulher morta' (4.215 metros acima do nível do mar). De lá, você pode ver o sítio arqueológico de Runkurakay à distância. A caminhada continua até chegar ao acampamento Pacaymayo onde passaremos a noite acampando. Este será o dia mais exigente, onde 11 quilômetros serão percorridos por paisagens de grande altitude.

Dia 3 – No terceiro dia a caminhada será menos exigente, pois começará a descer pela selva alta de Cusco até chegar ao vale do rio Pacaymayo, local cercado por abundante vegetação. De lá, você pode ver o sítio arqueológico de Sayaqmarca. A vista das montanhas, rios e árvores é das melhores. A noite será passada no acampamento Wiñayhuayna (ou acampamento Phuyupatamarca), próximo ao sítio arqueológico de Machu Picchu. Nesse dia, cada turista percorrerá cerca de 16 quilômetros.

Dia 4 – O último dia é o mais esperado, pois o turista se levantará bem cedo para caminhar alguns quilômetros em direção a Machu Picchu. A primeira vista que você receberá da cidade Inca será do Intipunku (Portão do Sol), assim como os Incas faziam há muitos anos. Em seguida, eles farão um tour por cada templo e construção com seu guia turístico. Finalmente descerão à cidade de Aguas Calientes onde embarcarão no trem que os levará de volta à cidade de Cusco.


Como fazer a Trilha Inca?

A Trilha Inca só pode ser feita através do serviço de uma agência de turismo. Apenas os operadores turísticos estão autorizados a reservar uma licença para cada turista. Essas licenças estão disponíveis para 500 pessoas por dia. Desse número, apenas 200 são turistas e o restante é formado pela equipe de guias turísticos, cozinheiros e carregadores. Devido à grande demanda por esta caminhada, os passeios devem ser reservados sim ou sim online com 6 ou 7 meses de antecedência. Caso contrário, será muito difícil encontrar disponibilidade.

Quanto custa?

O preço de um passeio pela Trilha Inca varia de acordo com a agência de turismo que oferece o serviço. O preço é entre 400 e 600 dólares americanos por pessoa.

Que inclui?

Todos os passeios para a Trilha Inca incluem o seguinte:

Posso fazer a Trilha Inca sem um tour?

A rota de 39 quilômetros conhecida como a trilha Inca para Machu Picchu é uma rota protegida pelo Estado Peruano, por isso só pode ser feita com uma permissão especial fornecida por uma agência de turismo. Infelizmente, não é possível fazer esse caminho por conta própria.

Trilha Inca curta de 2 dias

A curta Trilha Inca é uma versão reduzida da famosa rota clássica de 4 dias. Esta versão dura apenas 2 dias e cobre apenas uma distância aproximada de 12 quilômetros do ponto de partida, no km 104 da ferrovia (próximo ao sítio arqueológico de Chachabamba) até o Intipunku, ou antigo portão de entrada de Machu Picchu. Este percurso também passa pelo famoso sítio arqueológico de Wiñayhuayna.

No dia 1, o turista será levado da cidade de Cusco ao quilômetro 104 através de uma primeira viagem de minivan e depois de trem. Aí, a caminhada ascendente começa por troços rodeados de densa vegetação até chegar, após cerca de 4 horas de caminhada, ao sítio arqueológico de Wiñayhuayna onde faremos uma paragem para almoçar uma 'caixa'. Em seguida, a caminhada será retomada até o Intipunku - Machu Picchu. Nesse dia o turista não visitará a cidade inca, mas descerá diretamente ao povoado de Aguas Calientes para pernoitar em um alojamento local. Finalmente, o dia 2 será inteiramente destinado a um tour por Machu Picchu. Este roteiro deve ser seguido por uma agência de turismo. O custo do passeio é de aproximadamente 300 ou 400 dólares americanos por pessoa.

A Trilha Inca em fotos

Tour - Camino Inca
Tour - Camino Inca
Tour - Camino Inca
Veja mais fotos de viajantes

Informações mais importantes

A Trilha Inca está aberta todos os dias do ano, exceto durante todo o mês de fevereiro. Nesse mês, o mais chuvoso de Cusco, são realizadas obras de manutenção nas estradas.

Para fazer a Trilha Inca não existe um site oficial que ofereça um preço fixo. Todos os serviços devem ser contratados com agência de turismo. Cada um deles define seu preço de acordo com a qualidade de seu serviço.

A Trilha Inca não inclui a visita à montanha Huayna Picchu ou à montanha Machu Picchu. Para fazer qualquer um desses percursos pedestres curtos, você deve solicitar a compra de um bilhete com a agência de turismo que oferece a você a Trilha Inca. A maioria das agências cobra US $ 20 adicionais para visitar essas montanhas.

Cada agência de turismo pode reunir no máximo 16 turistas por grupo (em serviço compartilhado). Também pode fazer este percurso em serviço privado (exclusivamente para turistas e seu grupo de amigos, parceiros ou familiares). Os serviços privados são mais caros do que os serviços compartilhados.

Dicas

Segundo quem já fez a Trilha Inca, a estação seca (de maio a setembro) é a melhor época do ano para fazê-la. Nesses dias, a possibilidade de chuva é muito pequena, pelo que é mais fácil apreciar as belas paisagens do percurso.

A Trilha Inca percorre altas paisagens andinas nos primeiros dias. Portanto, é recomendável se adaptar ao clima de Cusco (1 ou 2 dias serão suficientes). Desta forma, você se adaptará melhor e não sentirá muito os sintomas do enjôo da altitude: dor de cabeça, cansaço, náuseas.

A Trilha Inca é uma rota de dificuldade moderada. Não é necessário estar em excelente forma física, mas você precisa fazer um pouco de exercício pelo menos uma semana antes da caminhada. A caminhada não é aconselhável para menores de 8 anos. Os adultos mais velhos devem consultar seus médicos.

Se você não encontrou disponibilidade para a Trilha Inca, uma excelente opção é fazer as outras rotas de caminhada de vários dias até Machu Picchu: a Salkantay Trek, a Lares Trek, a Huchuy Qosqo Trek ou a Selva Inca. Todos eles oferecem grandes aventuras.

Atracções turísticas perto de Trilha Inca

Intipunku

O Intipunku (Porta do Sol em quechua) foi a antiga via de acesso a Machu Picchu dos incas. Hoje é uma curta caminhada. Leva 1 ou 2 horas para chegar.

Intipunku

Huayna Picchu

A montanha Huayna Picchu é a melhor aventura em Machu Picchu. Oferece uma incrível caminhada, belas paisagens, a grande caverna, bem como flora e fauna.

Huayna Picchu

Montanha Machu Picchu

A montanha Machu Picchu é a montanha mais alta da cidade inca. A caminhada até o topo é exigente. Você verá belas paisagens, flora, fauna e muito mais.

Montanha Machu Picchu