A casa da Moral em Arequipa

A cidade de Arequipa é famosa pelos muitos palácios e mansões coloniais que foram construídos durante a ocupação espanhola. Uma delas é a Casa do Moral, construída em 1730. Sua principal característica é ser feita de silhar, pedra vulcânica com a qual foram construídos muitos prédios do centro da cidade. No interior, encontra-se uma coleção de vários objetos e tesouros da época colonial. Atualmente é um dos pontos turísticos mais famosos da cidade de Arequipa.


Descrição

O museu Casa Moral é uma das mais famosas haciendas - museus da cidade de Arequipa. Foi a casa do famoso conquistador Diego Peralta Cabeza de Vaca. Seu nome se deve à existência de uma amoreira-preta em seu interior. Foi construído no final do século XVIII com características neo-clássicas. Destacam-se a presença de silhar (material vulcânico utilizado em muitos edifícios de Arequipa), seus jardins, telas da escola de Cusco e outros tesouros de grande valor histórico. Vale destacar a existência de mais de 2.000 exemplares de mapas da América dos séculos XVI e XVII. É uma das casas mais famosas da chamada 'Cidade Branca'.

Localização

La casa do Moral está localizada na Rua do Moral 319, no cruzamento da rua Bolívar com a Moral (centro histórico da cidade de Arequipa).

Como chegar?

Partindo da praça principal em Arequipa, você pode chegar à Casa do Moral em uma caminhada de apenas 5 minutos (500 metros). Basta pegar a rua 'San Agustín' e entrar na rua Bolívar. O museu está localizado no cruzamento com a Rua Moral.

Mapa

História

A Casa Moral foi construída no final do século XVIII em um terreno localizado no centro histórico da cidade. Em seus primeiros anos funcionou como residência do conquistador Diego Peralta Cabeza de Vaca (um dos fundadores de Arequipa). Posteriormente, foi mandada reconstruir por Dom Manuel Santos de San Pedro e sua esposa, Rosa Bustamante y Benavides. Foi concluído entre 1735 e 1740. Anteriormente foi também a casa (que não foi preservada) da Sra. Rosa Bustamante y Benavides e seu primeiro marido.

Nos dois séculos seguintes, o casarão passou a fazer parte das famílias de Dona Rosa Bustamante e da família Pacheco Alatrista. A partir da segunda metade do século XX, a casa passou às mãos do casal de Arthur e Bárbara Williams que reforçou sua arquitetura e decorou seu interior com peças coloniais de grande valor histórico. Em 1944, o Banco del Sur adquiriu o imóvel e o transformou em museu. Hoje, é um dos marcos mais famosos da cidade.

Arquitectura e interior

A arquitetura da Casa do Moral possui características neoclássicas com forte influência local. Sua estrutura é feita de silhar, pedra vulcânica que prolifera na região. Destaca-se a fachada com figuras em relevo de anjos, um puma, um pássaro e duas chaves cruzadas; que formam um escudo.

O interior do museu destaca-se pela exposição de objetos coloniais e republicanos do século XVIII. Destacam-se as altas abóbadas de silhar e gravuras de cenas do cristianismo em portas, janelas e anagramas. Sua coleção de telas da 'escola de pintura de Cusco' também se destaca.

Um de seus principais tesouros é sua biblioteca de 3.000 volumes de literatura hispânica, bem como uma coleção de mapas feitos por famosos cartógrafos dos séculos XVI e XVIII. Por estar localizado no centro histórico de Arequipa, faz parte da área declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO.

Preço e horário de funcionamento

O museu Casa do Moral abre as portas ao público de segunda a sábado, das 9 da manhã às 5 da tarde. A entrada tem um custo de 5 soles peruanos para turistas estrangeiros e 3,50 soles peruanos para turistas nacionais.

Fotos

La casa del Moral - Arequipa
La casa del Moral - Arequipa
La casa del Moral - Arequipa
Veja mais fotos de viajantes

Dados interessantes

Uma parte do casarão (que servia de estábulo e pomar) atualmente funciona como sede do Corpo de Bombeiros de Arequipa.

Como era característico dos casarões do século XVIII em Arequipa, a Casa do Moral possui amplos pátios adornados com calçada de pedra de peculiar beleza..

Os objetos expostos no museu como móveis, telas, talhas e outros; eles não podem ser tocados por turistas. Fotografias dentro são permitidas. Lembre-se de que esses são objetos históricos de importante valor cultural.

Alguns conselhos

A cidade de Arequipa é famosa por seus muitos grandes museus da era colonial. Além da Casa Moral, você também pode visitar outras atrações como: a mansão do fundador, o palácio Goyeneche, o engenho Sabandía, entre outros.

A cidade de Arequipa também oferece outros tipos de atividades turísticas como caminhadas, visitas a sítios arqueológicos, museus e muito mais. Os melhores atrativos turísticos da região são: o cânion Colca, o mosteiro de Santa Catalina, o vulcão Chachani, o vulcão Misti, o museu dos santuários andinos, entre outros.

Atracções turísticas perto de A casa da Moral em Arequipa

O Palácio de Goyeneche em Arequipa

O lugar pertencia ao bispo de Arequipa Juan de Goyeneche. Exibe uma arquitetura neoclássica e obras de arte. O Banco Central de Reserva do Peru está localizado lá.

O Palácio de Goyeneche em Arequipa

Casa Museu Mario Vargas Llosa em Arequipa

No bloco um da rua Parra é a Casa Museu Mario Vargas Llosa de Arequipa. Inclui hologramas, vídeos, livros e muito mais. A renda custa 10 sóis.

Casa Museu Mario Vargas Llosa em Arequipa

Museu Santuários Andinos de Arequipa

O museu é famoso por abrigar a múmia Juanita, também conhecida como A dama de Ampato. Trata-se de uma menina sacrificada aos deuses na época inca.

Museu Santuários Andinos de Arequipa